Crise agita marcas, que saem da letargia criativa, apuram coleções e buscam emocionar (e vender)

A tensão nervosa desencadeada pela situação econômica no mercado de moda americano despertou as grandes grifes de sua letargia criativa. Marcas centrais da fashion week nova-iorquina, que termina hoje, apresentaram coleções menos anódinas e um tanto mais vigorosas que nos últimos tempos.

.
Foi uma reação mais perspicaz das marcas do que puxar o freio do design e do glamour, fazendo um recuo ao clássico e ao seguro, como ocorreu na última temporada. Tal caminho previsível iria, afinal, enterrar os estilistas numa vala comum.

.
Parece que as marcas se conscientizaram que, justamente por causa da crise, precisam oferecer o melhor de seu trabalho e de sua personalidade, buscando uma exuberância apropriada a estes tempos, cada uma conforme o seu estilo.

.
Deve ter sido este raciocínio que permitiu que Diane von Furstenberg, Carolina Herrera e Donna Karan -três “damas” da moda americana- arregaçassem as mangas para criar coleções de peso para o verão-2010. De marcas tais não se espera que revolucionem a temporada, mas que apenas sejam inteligentes e emocionantes.

.
Diane von Furstenberg impressionou com sua coleção inspirada no deserto e em temas orientalistas e africanistas -com um extravasamento bem-sucedido de cores, texturas e, obviamente, de estampas, marca registrada da grife.

.
Carolina Herrera encontrou o motivo de sua coleção nos cestos japoneses, que inspiraram o trabalho muito rico dos tecidos e também as modelagens. Nem tudo foi acertado na coleção, que às vezes forçou demais no tema, mas o desfile indicou claramente que a grife quer sair do marasmo em que estava.

Carolina e Diane abrem lojas próprias no Brasil entre o fim deste ano e 2010.

.
O choque nervoso também atingiu grifes menos consagradas, que quiseram marcar seu terreno. Esta temporada trouxe coleções de fôlego das grifes Zero + Maria Cornejo, Rodarte, Narciso Rodriguez e Thom Browne. Também ajudou a consolidar o trabalho de Alexander Wang, Derek Lam, Jason Wu e Ohne Titel, marcas relativamente novas, nas quais vale a pena ficar de olho.

 

Brilho e texturas variadas no vestido de Diana Von Furstenberg
Brilho e texturas variadas no vestido de Diana Von Furstenberg
Carolina Herrera revisita os clássicos com ar jovial e efeito rústico
Carolina Herrera revisita os clássicos com ar jovial e efeito rústico

 

 

Última Moda
ALCINO LEITE NETO 
http://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrad/fq1809200915.htm
com VIVIAN WHITEMAN

Lí essa matéria,hoje no jornal,e estou deixando o link pra vc’s.
bjs

Anúncios